Codependência no relacionamento

Codependência no relacionamento

O que é a codependência? Quais os prejuízos que um relacionamento codependente pode causar? Veja aqui algumas dicas para sair dessa armadilha.

Codependência em uma relação a dois é um padrão negativo que corrói a autonomia e a liberdade de ambos os parceiros. Uma maneira de percebê-lo é se perguntar: você anda fazendo muito sacrifício para a felicidade do(a) parceiro(a), mas não está obtendo nada de volta? Se esse tipo de padrão soa como seu, existem saídas. Há muitas maneiras de mudar um relacionamento codependente e ter uma vida mais equilibrada a dois.

O primeiro passo para colocar as coisas de volta nos trilhos é entender o significado de uma relação de codependência. Especialistas dizem que é um padrão de comportamento em que você se encontra dependente de aprovação da outra pessoa para a sua autoestima e identidade. Um sinal claro é quando seu senso de propósito na vida envolve fazer sacrifícios extremos para satisfazer as necessidades do outro.

“Relacionamentos codependentes significam um grau de agarramento doentio, onde a pessoa não tem autossuficiência e autonomia”, diz Scott Wetzler, PhD, chefe da divisão de psicologia do College of Medicine Albert Einstein. “Uma ou ambas as partes dependem de seus parceiros para o seu preenchimento.”

Os codependentes sentem a ansiedade de forma mais consistente do que qualquer outra emoção no relacionamento, e gastam muito tempo e energia tentando mudar o parceiro ou tentando estar em conformidade com os desejos do outro.

Qualquer um pode se tornar codependente. Algumas pesquisas sugerem que filhos de pais que abusaram emocionalmente deles ou os negligenciaram quando adolescentes são mais propensos a entrar em relacionamentos codependentes.

Codependência no relacionamento“Essas crianças muitas vezes são ensinadas a subverter as suas próprias necessidades para agradar a um pai difícil, o que os leva a um padrão de tentar obter o amor e o cuidado de uma pessoa difícil. Eles estão repetindo muitas vezes um padrão de infância preenchidos com intervalos de desenvolvimento”, diz Wetzler.

Desistir de suas próprias necessidades e identidade para atender as necessidades do outro tem consequências nocivas de curto e longo prazo. Você pode ficar exaurido(a) e começar a negligenciar outros relacionamentos importantes. E se você é o incentivador em um relacionamento codependente – ou seja, você promove defeitos da outra pessoa – você pode impedi-las de aprender lições de vida comuns e necessárias.

Como saber se você está em um relacionamento de codependência

Atente para estes sinais de que você pode estar em um relacionamento codependente:

1.       Você é incapaz de encontrar satisfação na sua vida longe de uma pessoa específica?

2.       Você reconhece comportamentos pouco saudáveis em seu parceiro, mas continua com ele, ou ela, apesar disso?

3.       Você está dando apoio ao seu parceiro ao custo de sua própria saúde mental, emocional e física?

4.       As pessoas ao seu redor estão dando feedback que você está muito dependente do seu parceiro(a)?

5.       Você tem um desejo, às vezes, por mais independência, mas sente um conflito ainda mais forte quando tenta se separar dele(a)?

Como alterar um relacionamento codependente

Romper não é necessariamente a melhor ou a única solução. Para superar um relacionamento de codependência, é importante estabelecer limites e encontrar a felicidade como indivíduo, dizem os estudiosos. Eles recomendam que os parceiros falem e definam metas de relacionamento que satisfaçam a ambos.

Também pode ser importante passar um tempo com parentes, amigos e família para ampliar o círculo de apoio ou encontrar passatempos de sua preferência. Tente se separar do companheiro(a) por períodos de tempo para criar uma dependência saudável em ambos.

Mas lembre-se de que suas ações podem involuntariamente piorar um relacionamento codependente. Às vezes as pessoas se iludem em pensar que eles estão ajudando um parceiro codependente, atendendo continuamente aos seus quereres. Mas pergunte-se se você está realmente ajudando ou simplesmente fomentando esse círculo vicioso.

Veja também: Autoconfiança na relação sexual

  • Compartilhe!