Entrega – uma ponte para a consciência

Entrega – uma ponte para a consciência

Entrega é uma postura de vida fundamental no Tantra. Ela harmoniza a mente e a prepara para uma exploração interior mais profunda.

Aceitar os fatos da vida, principalmente aqueles considerados indesejados, e entregá-los à Existência é uma atitude importante para manter a mente em equilíbrio. Uma mente calma, livre de revoltas, angústias, é condição básica para a contemplação da Consciência, a fonte de todas as coisas impermanentes.

Mas não é fácil nos dias de hoje, com tantas injustiças no mundo, simplesmente dizer “tá tudo bem, tá tudo certo do jeito que está”.  A gente quer mudar, protestar, quer transformar o mundo, quer torná-lo mais justo, mais honesto. E não há nada de errado nisso, pelo contrário. Cada um de nós tem uma “obrigação” a fazer, um talento a revelar, um alguém a ajudar, uma missão a cumprir (que nem sempre a gente sabe qual é).

O fato é que o nosso poder para alterar a realidade é limitado. O alcance das nossas ações é pontual e nem sempre elas trazem o resultado desejado, imediatamente. O mundo é construído por fatores intercalados com sua própria dinâmica insondável. As coisas nem sempre acontecem como a gente quer.

Estar neste mundo é viver e respeitar as transformações, compreendê-las, mesmo quando somos contrariados. Quando a gente entende e respeita essa dinâmica, a entrega fica mais fácil. Há um respeito à Existência, ao ciclo de nascimento crescimento e morte.

Entrega não é um fim em si mesmo

O buscador deve saber que a entrega é apenas uma ponte para a consciência, não é um fim em si mesmo. Ele deve ir além. A sua meta é conhecer sua própria natureza e distingui-la do seu ego, de sua persona. Precisa ver seus pensamentos, sentimentos e ações como objetos que pertencem ao mundo mutável, sempre em transformação. Então ele deve contemplar, colocar sua atenção naquilo que nunca muda – e por isso é real – a Consciência.

Entrega – uma ponte para a consciênciaPara ter a paz de espírito necessária à contemplação, ele deve discernir quais ações lhe trarão bons frutos, bom carma, e quais ações vão lhe trazer inquietação, revolta, reduzindo a sua capacidade de auto-observar-se. Deve agir de forma a não prejudicar ninguém, nem a si mesmo nem ao ambiente e, ao mesmo tempo,  e aceitar as coisas do jeito que são, mesmo se elas não acontecerem da maneira desejada.

Tema central nas tradições orientais

Lao-tsé, o sábio taoísta chinês, disse: aceite a situação em que você está. Deve ser a situação ideal para você, por isso você está nela. Buda chamou de tathata a “aceitação daquilo que é”. Na karma yoga, a aceitação é uma das recomendações mais importantes para o estudante. No Tantra, ela é a base filosófica que permitiu aceitar o sexo, os prazeres,  a carne, o vinho nos ritos e práticas para o autoconhecimento. – Veja O Ritual dos Cinco Ms

Medite sobre essas palavras do mestre Osho:

“Se você relutar em aceitar um fato, viverá o tempo todo na dor e no sofrimento. Se você o entrega à existência, sem nenhuma queixa – não num estado de impotência, mas de compreensão – , trata-se de aceitação daquilo que é. Dali em diante você deixa de ficar preocupado e não existe mais problema. O problema surgiu não por causa do fato, mas porque você não o aceitava da maneira como estava acontecendo. Você queria que ele seguisse os seus pensamentos.

Lembre-se, a vida não vai seguir você, você é que tem de segui-la. Com má vontade ou com alegria, a escolha é sua. Se você seguir com má vontade, sofrerá. Se segui-la com alegria, você se tornará um buda e a sua vida se tornará um êxtase.” (Osho, em Todos os Dias)

Veja  – Aceitação é uma porta para a felicidade

  • Compartilhe!