Amar a si mesmo? Como assim?

Amar a si mesmo? Como assim?

Como amar a si mesmo sem se tornar ególatra ou narcisista? Amando e reverenciando a vida que existe através de você e de cada um de nós.

Uma leitora diz que é muito mais fácil amar alguém do que amar a si mesma, e pergunta se isso é só com ela que acontece ou com a maioria das pessoas também?

Esse tema é interessante porque se tornou um dos fundamentos principais do cristianismo (“ame o outro assim como ama a si mesmo”) e de toda a nossa civilização ocidental. É claro que a frase de Jesus Cristo fala de um amor solidário, aos necessitados, pobres e desconsolados, mas ela traz em si essa ideia de amor por si próprio. “Como assim? Será que eu me amo o suficiente? O que será amar a mim mesmo? ”

O Tantra também fala dessa união mística interior, dos nossos lados masculino e feminino em um encontro através da meditação ou de um profundo amor pela nossa natureza física e espiritual, gerando um estado de êxtase profundo – Unio Mystica — que também pode ser exercitado por casais.

O amor por si mesmo, que a leitora se refere, pode ser algo mais simples. E pode ser traduzido como auto aceitação. Aí fica mais fácil, mais tangível, porque a palavra amor possibilita muitas interpretações e fica difícil traduzi-la. Eu poderia dizer que uma pessoa que se ama demais é uma narcisista doentia. Ou uma ególatra que só pensa em si mesma, não é?

Amar a si mesmo? Como assim?Talvez a gente deva descartar a palavra amor e substituí-la por auto aceitação, que não é tão bonita mas com certeza qualquer um entende, sem se perder em diferentes interpretações. Antes de querer amar a si mesmo você deve se perguntar: eu me aceito como sou? Eu gosto dessa pessoa que sou?

Nem todo mundo gosta de sua personalidade, do seu jeito, do seu corpo… e há pessoas muito críticas consigo mesmas, por isso é muito mais fácil amar ou apaixonar-se, melhor dizendo, por alguém. Em outra pessoa você pode projetar toda a perfeição que você não encontra em si mesma (o). Daí é um passo para o apego, à dependência do outro para se sentir feliz, completo.

Mas você pode dizer: “não é fácil aceitar-me como sou, tenho vários defeitos dos quais eu não gosto”. É aí que você deve focar, fazer um exame minucioso nesses “defeitos”, e separar aqueles que podem e devem ser mudados e aqueles que não. Anote, descreva-os para si, amplifique-os. Veja todos os lados, como você se sente, como os outros se sentem. Esforce-se para mudar, se achar necessário. Isto é conhecer-se, o estágio anterior à auto aceitação.

E assim, conhecendo-se melhor, será mais fácil começar a gostar de si mesmo, respeitando sua personalidade, que é única. E não é preciso buscar aquele amor intangível, apenas um estar bem consigo mesma (o) já é suficiente. A meditação ajuda muito nesse processo. Use-a. Feche os olhos, olhe para o seu interior com calma, com respeito. Observe a respiração, isso ajuda a penetrar espaços mais profundos. Perceba a beleza do ser, perceba a maravilha que é a natureza, a vida. Ela sim deve ser amada e reverenciada.

  • Compartilhe!