A responsabilidade é toda sua

A responsabilidade é toda sua

O uso intensivo do celular e das redes sociais está criando distanciamento entre os casais. A responsabilidade de não deixar que isso aconteça é somente sua. Tome-a.

Há pouco tempo recebi um e-mail de uma simpatizante do Tantra que dizia que tem sido mais difícil hoje em dia fazer as práticas tântricas com seu parceiro. Ela acha que a sociedade vem valorizando cada vez mais o individualismo e as redes sociais acabam reforçando isso, promovendo relações virtuais, efêmeras e superficiais. E aí, o parceiro acaba perdendo muito tempo nessa atividade em prejuízo de um relacionamento real e pessoal.

Não há como discordar disso e creio que todos nós estamos sentindo essa transformação nas relações. Perde-se muito mais tempo hoje para processar esse mundo de informação criado pela internet e, como a mente vive e se alimenta de informações, torna-se algo bastante sedutor passar horas diante da telinha. Ainda mais em uma atividade em que a gente não precisa se expor por inteiro, preservando nossos defeitos e fraquezas diante dos outros.

“Como sair dessa armadilha?”, ela pergunta. E muita gente deve estar se perguntando a mesma coisa neste momento.

Para mim, que também vivo neste mundo e nessa nova realidade da multiinformação, o antídoto passa por uma coisa chamada auto-responsabilidade, isto é, chamar para si a responsabilidade pela transformação e pela construção de uma vida mais satisfatória com o parceiro. Quando você chama para si essa responsabilidade você deixa de culpar o outro, ou a sociedade, ou a internet, ou o individualismo, pela deterioração dos relacionamentos.

Assumir a responsabilidade, além de ser transformador é também libertador, porque você cria as condições para as coisas acontecerem, sem ficar esperando do parceiro ou parceira tal atitude. É a primeira coisa a ser praticada, se você quer retomar as rédeas de sua vida e não se deixar levar pelas circunstâncias negativas da modernidade.

Por exemplo, você pode propor ao seu parceiro ou parceira “noites desplugadas” durante a semana, sem celular ou computador. Em vez disso, proponha um jogo, damas, xadrez, carteado, ou um filme, mas com celulares desligados! Acenda um incenso delicado, ponha uma música que os dois curtem, crie formas diferentes de ficarem juntos em uma atividade prazerosa. Veja aqui  Isso vai reaproximá-los e prepará-los para um clima mais sensual, mais amoroso.

A partir daí você pode aplicar o “let go” do Tantra, se entregar ao momento, fluir com o rio.

  • Compartilhe!